6 atitudes que você pode ter e que a maioria das universidades ainda não compreende

20 set 2017

Quando você escolhe uma faculdade ou universidade para passar os próximos anos da sua vida, uma série de perguntas deve vir à mente: o ensino é forte? Ela tem professores bons e com atuação no mercado? A infraestrutura é adequada para o curso que eu quero? São perguntas pertinentes, afinal você quer ter uma formação forte, que prepare para os desafios da carreira.

Muitos estudantes, no entanto, acabam se adaptando a um modelo de ensino arcaico, que já há algum tempo não prepara profissionais para novas relações de trabalho dinâmicas e inovadoras. Fato é que a esmagadora maioria das universidades possui o mesmo ensino de 50, 60 ou 70 anos atrás.

Hoje você vai descobrir 6 comportamentos que talvez nem perceba que tenha, e como a escolha de uma universidade atenta a novos paradigmas da educação é fundamental:

1 – Aprender fazendo

Teoria não é nada sem prática. É fazendo que se aprende. Ok, podem ser frases clichês, mas não deixam de ser verdadeiras. Já falamos um pouco sobre a cultura maker e como ela tem influenciado na formação do jovem atual. Ao aprender botando a mão na massa, você está lidando com outros sentidos, aprimorando sua coordenação e exercitando a rapidez de raciocínio. Foi-se a época em que a teoria era aprendida na universidade e a prática, nos estágios de fim do curso.

Solução: Hands On

2 – Ter uma vivência internacional

Você pode tirar um ano sabático, ser voluntário no exterior ou trabalhar em diferentes cantos do mundo, como um verdadeiro nômade digital. As fronteiras nunca foram tão pequenas para os aventureiros – ou para quem quer apenas conhecer uma nova cultura – como nos dias atuais. Seja qual for o seu perfil de viajante, pra que esperar a formatura pra cair no mundo? Por que não unir a vivência no exterior com a experiência de trabalhar na sua área de formação?

Solução: Dupla diplomação no exterior. Acesse a página de cursos da PUCPR e saiba se a graduação que você quer oferece esse diferencial.

3 – Aprender com mais autonomia

Cada estudante tem seu ritmo de aprendizado e uma universidade comprometida com a qualidade da sua educação deve respeitar o tempo e as aptidões de cada um. Pode parecer um sonho impossível achar que uma universidade chega a esse grau de personalização na formação dos seus estudantes. Pois saiba que isso já é uma realidade e está mudando a forma como os profissionais constroem seu conhecimento.

Solução: flexibilidade curricular

4 – Conhecer outras áreas e escolas

O profissional do futuro não ficará mais restrito a uma área apenas. A infinidade de informações a que estamos expostos diariamente derrubou as fronteiras invisíveis que separavam as diferentes áreas de conhecimento. Que tal usar a multidisciplinaridade do ambiente acadêmico para cursar disciplinas comuns a mais de um curso, ter contato com estudantes de outras escolas e criar, desde o início da graduação, um currículo personalizado e com uma visão holística?

Soluções: Business Labs (Escola de Negócios da PUCPR), Engenharia Biomédica (novo curso da PUCPR) e integração entre cursos e escolas

5 – Trilhar um caminho que faça sentido pra você

Por que fazer Design de Produto e cursar mais 4 anos para se formar em Design de Moda? Universidades devem propor eixos básicos da formação e permitir que estudantes trilhem caminhos especializados de acordo com as especializações que desejam. Por que não ter, além do diploma de graduação, certificações adicionais, que ampliem sua visão de mundo e tragam autoridade ao seu currículo?

Soluções: trilhas formativas e novos cursos de Arquitetura e Design

6 – Ser um empreendedor mesmo sem abrir o próprio negócio

O cinema, a internet e a vida real estão cheios de exemplos de profissionais que largaram tudo para empreender em seu próprio negócio. Além de coragem, é preciso desenvolver alguns atributos como liderança, visão estratégica e capacidade de inovação para se dar bem em mercados cada vez mais competitivos. Mesmo que você não tenha a pretensão de alçar voos individuais, bastando estar em um cargo ou posição confortável para se sentir realizado, os atributos acima também podem fazer parte do seu dia a dia. Nada impede que você tenha um espírito empreendedor trabalhando para uma grande empresa ou uma pequena organização.

Solução: ser empreendedor já no primeiro ano da graduação

Se identificou com alguma dessas atitudes?

Então é bom começar a pensar em faculdades e universidades que os estimulem em vez de reprimi-los. Aqui no blog você confere todas as novidades sobre cursos, propostas pedagógicas e ambientes da PUCPR que foram criados para você potencializar sua formação.