Saiba como o PIBIC impulsiona sua carreira já na graduação

04 out 2017

Você acabou de passar no vestibular e não vê a hora de encontrar velhos amigos no câmpus, fazer novas amizades e aproveitar toda a cultura e o estilo de vida que a universidade tem para oferecer. Isso é natural, afinal um novo mundo cheio de possibilidades está se abrindo. É por isso que seguir uma carreira científica nos primeiros anos da universidade pode soar como algo tedioso a princípio, não é?

Acredite, vários estudantes ficam tão deslumbrados no início da graduação que acabam se esquecendo de uma coisa muito importante: a concorrência no mercado é grande e você precisa construir seus diferenciais com antecedência para se despontar lá na frente.

Já falamos sobre a importância da Iniciação Científica e como ela pode impulsionar sua carreira já na faculdade. Agora você vai saber como uma carreira científica mudou para sempre a vida do Thiago. Tédio? Você pergunta. Não, muito pelo contrário!

“Na universidade, convivi com líderes da área de Imunologia”

Thiago Maass Steiner fez Ciências Biológicas (Licenciatura) na PUCPR, com um período sanduíche na University of Melbourne, na Austrália. Atualmente está fazendo Mestrado em Imunologia no Departamento de Imunologia da USP. Para o estudante, a oportunidade de estudar fora do país começou durante a graduação. “Tomei conhecimento das bolsas oferecidas pelo Ciência sem Fronteiras. Decidi me aplicar e obtive o benefício”, conta.

Pesquisa já no primeiro ano? Por que não?

Para o estudante, quanto antes começar, melhor: “Desde o primeiro ano da graduação, apresentei grande interesse na pesquisa, principalmente em Imunologia. Ter a oportunidade de realizar disciplinas na área e estágio em uma das melhores universidades do mundo, em Melbourne, foi um grande avanço na minha carreira”.

Isso foi apenas o começo. Agora, Thiago pretende iniciar o doutorado após o mestrado: “Obtive uma conditional offer para fazer Doutorado no Peter Doherty Institute for Infection and Immunity-PDI, na University of Melbourne. Me inscrevi em duas bolsas australianas, que terão seus resultados divulgados em dezembro”.

5 coisas que a Iniciação Científica trouxe ao Thiago

  1. “Durante o período na universidade convivi com líderes na área de Imunologia inclusive com laureados com o Nobel.”
  2. “Mantive contato com colaboradores internacionais já nas minhas Iniciações Científicas na PUCPR.”
  3. “Durante o mestrado, apresentei meu trabalho em um congresso internacional em Dublin, na Irlanda.”
  4. “Também fui selecionado para participar do Lower Saxony International Summer Academy (LISA) em Imunologia, organizado pela Hannover Biomedical Research School, na Alemanha. Foram selecionados alunos de 27 países, que receberam bolsas do DAAD.”
  5. “Desde que retornei da Austrália, mantive contato com pesquisadores do país, que me auxiliaram durante o processo seletivo para o doutorado. Caso minha bolsa seja aprovada, retornarei ao laboratório do professor que me supervisionou durante minha graduação sanduíche em Melbourne.”

Conheça as vantagens do PIBIC

Na PUCPR, o PIBIC é financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), pela Fundação Araucária e pela própria universidade. Alunos que participam do PIBIC por dois anos têm 50% de desconto nos cursos de pós-graduação da PUCPR (especialização, mestrado e doutorado). Os melhores trabalhos do PIBIC também são premiados pela PUCPR com o pagamento de passagens, hospedagem e inscrição para participar de congressos científicos.